25 de julho de 2021, 15:43h

Pazuello exige direito de resposta para restabelecer a verdade após matéria inverídica da Folha, de O Globo e da CNN

Ex-ministro da saúde faz questão de rechaçar o que a reportagem tentou passar ao Brasil

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello encaminhou ao jornal Folha de S.Paulo uma notificação extrajudicial solicitando direito de resposta após a publicação de reportagem com conteúdo inverídico nesta sexta (16) sobre uma suposta compra superfaturada da CoronaVac.

Segundo a notificação, as informações “são infundadas e inverídicas” e violaram a honra do ex-ministro. Em nota divulgada pela Secretaria Especial de Comunicação Social, Eduardo Pazuello afirma que em momento algum negociou compra de vacinas com empresários.

De acordo com o general, a reunião foi entre uma equipe do Ministério da Saúde e os empresários, e ele esteve na sala unicamente para cumprimentar os representantes da World Brands Distribuidora.

Ainda segundo Pazuello, após a reunião, ele foi informado que a proposta era inidônea e determinou que não fosse elaborado o Memorando de Entendimento, além de solicitar que a assessoria de comunicação do ministério não divulgasse o vídeo.

Pazuello afirma que não foi localizado no Ministério da Saúde qualquer processo para aquisição das vacinas ofertadas pela empresa World Brands.

Além da Folha de S.Paulo, o ex-ministro também entrou com pedido de direito de resposta no jornal O Globo e no canal CNN Brasil.