1 de dezembro de 2021, 22:15h

Prefeitura de Trindade está pesando e medindo em novembro mais de 6 mil crianças entre 0 e 10 anos matriculadas nos Cmeis e escolas da rede municipal

Trabalho já foi feito em 26 unidades e aponta que entre 5% e 10% das crianças estão acima do peso correto para altura e idade. Programa federal que teve adesão das secretarias de Saúde e de Educação de Trindade reforça compromisso do prefeito Marden Júnior de investir no bem-estar dos estudantes do município

Até o final de novembro a Prefeitura de Trindade, por meio de parceria entre as secretarias municipais de Saúde e de Educação, realiza a pesagem e a medição de mais de 6 mil crianças entre 0 e 10 anos matriculadas nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) e escolas da rede municipal.

Do dia 18 de outubro até esta quarta-feira (17/11), o trabalho foi realizado em 11 Cmeis e 15 escolas. Restam nove unidades. Foram identificadas entre 5 e 10% de crianças acima do peso.

Incentivar o acompanhamento nutricional, médico e odontológico dos estudantes de Trindade foi um dos compromissos de campanha do prefeito Marden Júnior.

A medição e a pesagem são passos da chamada triagem antropométrica que identifica estudantes acima ou abaixo do peso. Os dados coletados são anotados numa ficha de acompanhamento do crescimento.

Nesta quarta-feira, a equipe fez o trabalho com crianças até 10 anos que estudam na Escola Municipal Professora Gleide Mendes de Lima, no Jardim Mariápolis, na Região Leste de Trindade.

A avaliação antropométrica é apenas uma das 13 ações que fazem parte do Programa Saúde na Escola (PSE) que visa contribuir para o pleno desenvolvimento dos estudantes da rede pública de ensino.

O projeto é instituído pelo Ministério da Saúde com adesão dos municípios, por meio de pactuação entre a Saúde e a Educação de cada prefeitura, que passam a receber recursos para as atividades, explica a coordenadora do Programa Saúde na Escola da Secretaria de Saúde de Trindade, bióloga Liliane Alves.

O programa orienta que, quando um caso de sobrepeso é identificado, por exemplo, a equipe de Saúde Infantil seja informada. A partir daí, uma sequência de ações é desdobrada. A primeira é o contato com os familiares. Depois, é agendada uma ida da família até uma UBS próxima da família para nova avaliação na unidade.

“Lá a família recebe orientação nutricional, avaliação e aconselhamento sobre possíveis doenças relacionadas ao sobrepeso, assim como é feito um plano alimentar e sugeridas atividades físicas para serem realizadas em casa mesmo”, acrescenta Liliane.

Segundo ela, durante os meses de maior isolamento social da pandemia de Covid-19 houve crescimento no número de crianças com obesidade, problema estimulado pela ansiedade e pela falta de atividades físicas. Além disso, em 2020 não houve esse levantamento devido ao regimento de aulas não ter sido presencial, o que prejudicou o acompanhamento das crianças.

Entre as ações do Programa de Saúde nas Escolas outra ação bastante importante é justamente a que trata da prevenção à Covid-19, com envolvimento de professores na orientação e prevenção dentro das unidades municipais.

De modo geral a iniciativa tem como eixos prioritários os cuidados para evitar a transmissão do coronavírus, a vigilância alimentar e nutricional, a promoção da alimentação adequada e saudável, o incentivo às práticas de atividade física, e as ações de identificação, prevenção e cuidado para as crianças que apresentam obesidade.

A diretora da Escola Municipal Professora Gleide Mendes de Lima, Katiele Caballero, explica que esse acompanhamento é um diferencial para o bom aprendizado nas escolas municipais e por isso a participação da Secretaria de Educação é estratégica.

“Se uma criança está saudável, vai ter melhor desenvolvimento no aprendizado, ou seja, quanto melhor ela se alimenta, melhor seu desenvolvimento”, frisa Katiele.

Sobrepeso
Thays Nogueira, nutricionista do programa em Trindade, confirma que o diagnóstico nas unidades de ensino revela um quadro que exige atenção. “Entre 5% e 10% das crianças que passaram pela avaliação antropométrica estão com sobrepeso, ou seja, possuem menos de 10 anos de idade e pesam 60, 70 e até 80 quilos”, alerta.

Ela reforça que depois de identificado esse quadro, e iniciado o atendimento nutricional na UBS mais próxima da residência da criança, o acompanhamento é personalizado e segue periodicamente. “Entregamos um plano alimentar individualizado, identificando exageros ou consumo inadequado de alimentos como refrigerantes e salgados, por exemplo”, diz.

Além disso, salienta a nutricionista, são apresentadas opções alimentares saudáveis ao alcance da família da criança, tais como frutas e outros alimentos da região e da estação.